"Ninguém educa ninguém. ninguem educa
a si mesmo, os homens se educam entre si,
mediatizadas pelo mundo."
Paulo Freire

02/02/2018 08:19 - Fórum Social Mundial 2018: Resistir é criar, resistir é transformar

A 13ª edição do Fórum Social Mundial (FSM) 2018 vai reunir mais de 50 mil participantes, entre eles, políticos, representantes de movimentos sociais, sindicalistas e personalidades do Brasil e do exterior, dos dias 13 a 17 de março, em Salvador.

O slogan do Fórum “Resistir é criar, resistir é transformar” indica que o este é “um evento de resistência contra a retirada de direitos, ataque a democracia e estado de exceção, além é claro, de apoio ao direito do presidente Lula”, diz Antonio Lisboa, secretário Internacional da CUT.

“Mulher, Resistir e Transformar!”

A principal atividade unitária das mulheres no Fórum será a Assembleia Mundial das Mulheres, que ocorrerá na manhã de 16 de março, e deverá ser a única atividade programada no horário para “assegurar que as mulheres com outras agendas políticas no Fórum estejam liberadas para debater suas questões de gênero, pautas feministas e lutas das mulheres”, explica Fátima Froés, da Rede Mulher e Mídia, e integrante do Grupo Facilitador do FSM2018.

As pautas da Assembleia estão sendo discutidas com organizações feministas e setores de mulheres em movimentos sociais e terão conexão direta com as convocatórias de 8 de Março – Dia Internacional da Mulher.

Em Salvador, a participação na Assembleia está sendo construída pelo mesmo grupo organizador das atividades do 8 de Março, iniciando uma jornada de atividades na capital baiana rumo ao FSM 2018. O grupo já escolheu para sua marcha tradicional do dia 8 de Março um lema associado ao do FSM 2018: “Mulher, Resistir e Transformar!” A proposta é exibir essa frase em uma grande faixa vertical fixada no Elevador Lacerda, ponto turístico e de grande fluxo popular de Salvador.

Protagonizado por organizações das redes das mulheres negras, o grupo prepara, além da participação na Assembleia, um Tribunal contra o racismo e uma grande Marcha das Mulheres Negras no FSM2018, atividades previstas para o dia 14.

A proposta da Assembleia Mundial de Mulheres foi levada ao Conselho Internacional do FSM, em reunião de outubro de 2017, pelas mulheres presentes, a partir de diálogos sobre as preocupações das mulheres vivendo situações de guerra, como as combatentes curdas, a solidariedade com as resistentes à ocupação e apartheid da Palestina, e a organização das mulheres negras brasileiras contra o feminicídio e o extermínio de sua juventude.

A convocatória internacional da Assembleia está prevista para a primeira semana de fevereiro. Interessadas em participar da sua construção devem escrever para info@fsm2018.org, com o título: Participar da AMM.

CUT Nacional