"Ninguém educa ninguém. ninguem educa
a si mesmo, os homens se educam entre si,
mediatizadas pelo mundo."
Paulo Freire

10/03/2021 10:33 - Governador, a FETEMS e os 74 SIMTEDs querem Aulas remotas também para os(as) Profissionais em Educação, para não correr o risco de um surto do COVID-19

A FETEMS (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul) e os 74 SIMTEDs comemoram a decisão do Governo do Estado de suspender as Aulas Presenciais, conforme defendemos desde o início da Pandemia, considerando o grave estágio de contaminação e óbitos por COVID-19, em Mato Grosso do Sul e no País. Defendemos que os(as) Professores(as) continuem o trabalho remoto e que haja uma escala de plantão para os(as) Trabalhadores(as) Administrativos em Educação.
A FETEMS, desde janeiro, se reuniu com a Secretaria Estadual de Educação de MS, por diversas vezes e, defendeu a necessidade de continuar com as aulas e o atendimento remoto, como aconteceu em 2020, tendo em vista a gravidade da Pandemia. 
A Secretaria Estadual de Educação de MS, no entanto insistiu em iniciar o ano letivo com uma "acolhida presencial ou semipresencial" para receber os(as) alunos(as) e efetuar a entrega de materiais. Sabemos que é muito difícil manter o distanciamento e todos os cuidados sanitários necessários ao reunir os(as) Professores(as), Trabalhadores(as) Administrativos em Educação, estudantes e familiares nas escolas, porque acaba gerando aglomerações e trazendo risco à saúde de todos. Por essa razão, a FETEMS deliberou em Assembleia Geral, que as aulas deveriam continuar em forma remota até que todos e todas sejam vacinados(as).  
Devido a gravidade do momento, nós da Direção da FETEMS e dos 74 SIMTEDs defendemos que os(as) Profissionais em Educação continuem o trabalho remoto, como no início da pandemia em 2020, considerando as orientações do Centro de Operações de Emergências (COE), de 04 de março de 2021, orientou que as Aulas e as Atividades Escolares sejam remotas neste momento e apontou outros elementos que demonstraram o agravamento da situação, como o uso da totalidade dos leitos de terapia intensiva (UTI) públicos para COVID-19, além da nova variante do Coronavírus, a P1, que provoca uma contaminação maior do vírus, já ter sido detectada no estado de Mato Grosso do Sul.
Senhor Governador, a sua decisão reforça a nossa posição e preocupação, de que neste momento, o trabalho remoto é imprescindível, preservando assim, a saúde e a vida dos Trabalhadores(as) em Educação, dos estudantes e toda a população.
Direção da FETEMS e os 74 SIMTEDs

 

Direção da FETEMS e os 74 SIMTEDs