"Ninguém educa ninguém. ninguem educa
a si mesmo, os homens se educam entre si,
mediatizadas pelo mundo."
Paulo Freire

12/03/2018 08:35 - Hospital Cassems CG realiza debate sobre violência contra a mulher

 Representante da Casa da Mulher Brasileira destaca que é necessário, além do respeito, reconhecimento e oportunidades, haver mais empatia com a dor das mulheres.
 No Dia Internacional das Mulheres, o Hospital Cassems de Campo Grande realizou palestra sobre o atendimento à mulher vítima de violência. O tema foi abordado pela coordenadora de projetos e ações temáticas da Semu (Subsecretaria de Políticas Públicas da Mulher), a psicóloga Márcia Paulino. Do debate participaram a diretora de Clientes da Cassems, Jucli Stefanello, o diretor de Unidades Hospitalares da Casssems, Flávio Stival e o gerente do Hospital Cassems de Campo Grande, Carlos Guizado, além colaboradoras da unidade hospitalar.
De acordo com a psicóloga, em Campo Grande, a Casa da Mulher Brasileira já atendeu mais de 30 mil mulheres vítimas de violência desde a sua abertura, em 2015. “Nós atendemos em média 50 mulheres todos os dias. Os números só aumentam e isso não significa que a violência está aumentando. Demonstra, sim, que a violência contra a mulher está saindo do âmbito privado”, argumenta Márcia, explicando que, na prática, não existe igualdade no cotidiano das mulheres e cita o exemplo clássico da realidade brasileira: “No Brasil, as mulheres estudam mais, porém têm menos oportunidades de assumir altos cargos com bons salários do que os homens”.
Márcia explica também que o maior o maior objetivo dos trabalhos de conscientização junto às mulheres é o reforço nos conceitos de empoderamento, para a tomada de decisões que impactam de forma permanente a vida da mulher e sororidade, que consiste na união e aliança entre as mulheres, baseado na empatia e no companheirismo. “Nós mulheres precisamos nos apoiar. Quando nós julgamos uma mulher, estamos julgando a nós mesmas. Temos que reconhecer a outra mulher em nós”, afirma a psicóloga.
No Hospital Cassems de Campo Grande 80% do quadro de colaboradores é formado por mulheres. Nesse sentido, o gerente hospitalar, Carlos Guizado, entende que o “respeito e o reconhecimento pela luta feminina contra a violência, seja física, psicológica, moral ou patrimonial, deve ser empreendida por todos que entendem a importância da presença da mulher, não apenas no lar, mas na política, na vida profissional, nas instituições e na sociedade”.
A diretora de Clientes da Cassems, Jucli Stefanello, falou, de forma breve, sobre o trabalho que a Cassems está realizando junto com a ONU Mulheres, Organização Pan-Americana para as Mulheres e a Xaraés Consultoria e Projetos para o enfrentamento da violência contra as mulheres em Mato Grosso Sul. “Nosso maior objetivo é fazer com que essas campanhas de conscientização sejam colocadas em prática e que todas as nossas unidades de atendimento, em especial os hospitais, tenham equipes multidisciplinares preparadas para o atendimento humanizado das mulheres vítimas de violência, para que elas se sintam acolhidas e protegidas”, esclarece Jucli.
Para o diretor de Unidade Hospitalares, Flávio Stival, é mais que necessário que a instituição esteja inserida nesse contexto de combate à violência. “Nos assusta muito a quantidade de mulheres agredidas e precisamos, como instituição que cuida da saúde das pessoas, estarmos atentos e preparados para o atendimento humanizado de casos de violência”, finaliza.
Após a palestra, as colaboradoras do Hospital Cassems participaram de um workshop de maquiagem com a equipe do Boticário In Company e as pacientes internadas neste dia receberam homenagens pela data.

Assessoria CASSEMS