Mobilização e vigília em Defesa da Democracia e dos Direitos da Classe Trabalhadora

Mobilização e vigília em Defesa da Democracia e dos Direitos da Classe Trabalhadora.

 

“Se, na verdade, não estou no mundo para simplesmente a ele me adaptar, mas para transformá-lo; se não é possível mudá-lo sem um certo sonho ou projeto de mundo, devo usar toda possibilidade que tenho para não apenas falar de minha utopia, mas participar de práticas com ela coerentes”.

                                                     Paulo Freire

 

O conjunto dos trabalhadores e trabalhadoras da CUT, organizados em seus quase quatro mil sindicatos e seus 7.933.029 filiados, estão mobilizados (as) em todos os cantinhos do nosso País, para defender o Brasil. Em Mato Grosso do Sul, os trabalhadores e trabalhadoras ligados à CUT/MS, também, estão mobilizados (as)em seus quase 150 sindicatos e federações em defesa do Projeto de País transformador que ajudamos a construir ao longo de mais de 30 anos e, que, culminou com a eleição do primeiro trabalhador operário, Luiz Inácio Lula da Silva para Presidente e, continua com a Presidenta Dilma, a primeira mulher a presidir o Brasil.

 

Estamos mobilizados (as) Contra o Golpe e em Defesa da Democracia, porque, entendemos que a Democracia é fundamental para a garantia dos direitos e conquistas à classe trabalhadora, e, portanto, nos é muito cara.

A CUT e os nossos sindicatos têm uma extensa pauta de reivindicações e de lutas, tais como:

  • Contra a corrupção;
  • Contra a retirada de direitos dos trabalhadores (as);
  • Contra o desemprego que vem aumentado;
  • Contra a reforma da previdência que está sendo planejada;
  • Contra as privatizações na saúde, na educação, da Petrobrás e outras;
  • Contra a terceirização e a precarização do trabalho;
  • A mudança da política econômica do Governo Dilma... dentre outras propostas.

 

Mas, neste momento, todas estas lutas só serão possíveis se barrarmos o Golpe de Estado que está em curso e sendo encaminhado pela direita brasileira, através da direita política no Congresso e no Senado com o apoio da direita do judiciário... Todas as nossas lutas só serão possíveis se garantirmos o Democracia no Brasil.


Se o Golpe de Estado (chamado de Impeachment) se concretizar e derrotar a Democracia nós podemos nos preparar para perder estas lutas e perder muitas das conquistas históricas como: férias, 13º., descanso remunerado, previdência, licença maternidade e outros direitos duramente conquistados.

 

Portanto, precisamos, em primeiro lugar, ser Contra o Golpe que vem sendo orquestrado... pela direita se utilizando de aparatos nunca mais vistos desde os tempos da Ditadura Militar que tantas pessoas inocentes prendeu e assassinou... pessoas como nós sindicalistas, agricultores, jornalistas.

 

Aqueles que defendem o Golpe usam a corrupção para justificar o pedido de Impeachment da Presidenta Dilma e a prisão do ex-Presidente Lula... Sem nenhuma prova concreta, somente, citações por pessoas de idoneidade duvidosa, que não tem retidão moral para acusar ninguém.

Somos contra a corrupção, exigimos a punição dos culpados (as) e a devolução do dinheiro roubado. Mas, para todos (as): corruptores (as) e corruptos (as); para todos os partidos e, não apenas para o PT e o Governo do PT.

Só para exemplificar, Aécio Neves e o PSDB são acusados com provas concretas, como desvio na Petrobrás; desvio milionário na saúde de Minas Gerais quando foi governador; os 5 aeroportos construídos em pequenas cidades próximas as terras de sua família;mensalão tucano em Minas Gerais; máfia do Carlinhos Cachoeira em Goiás; desvio do metrô em São Paulo; corrupção nas privatizações na época do FHC; compra da emenda da reeleição do FHC; a Pasta Rosa... dentre outros.

Também, não podemos nos esquecer do Japonês, da Federal... famoso por prender petistas e que foi preso há poucos dias por corrupção.

Ainda mais grave, a postura deste Juiz Sérgio Moro e de outros que estão correndo atrás dos seus 5 minutos de fama na “Rede Bobo”, criando um estado de exceção no Brasil. Porque estamos em um estado de exceção, que é quando se usa do direito para legitimar situações que não tem respaldo legal, como grampear inconstitucionalmente a Presidenta do Brasil... Nós não podemos aceitar esse tipo de violação dos direitos constitucionais, nem contra a Presidenta Dilma, nem contra o Ex-Presidente Lula, nem contra seus advogados e nem contra nenhuma pessoa. A Constituição Federalnos protege de sermos “espionados” sem ordem judicial. Para ser grampeada qualquer pessoa precisa de ordem judicial e o Juiz Moro, inescrupulosamente, grampeou a Presidenta para usar conversar pessoais na sua saga insana contra o PT e contra os trabalhadores e as trabalhadoras. O dia que admitirmos tamanho desrespeito à Constituição nós estamos entregando as nossas vidas e as vidas dos nossos filhos nas mãos de uma justiça que pode coagir, perseguir, torturar, prender, matar, só porque não gosta de você. E, tal situação, jamais poderemos admitir e aceitar.


Muito grave, também, é usar uma concessão pública de televisão como é o caso da Rede Globo para atacar, mentir, achincalhar, enxovalhar durante vinte e quatro horas por dia o PT, o ex-Presidente Lula e a Presidenta Dilma; incitar à população à violência e ao ódio e apoiar e promover este regime de exceção. A Globo está fazendo o que fez na Ditadura quando colocou seus carros de imprensa e sua estrutura para ajudar o Regime Militar contra os (as) trabalhadores (as) e movimentos sociais. Não podemos aceitar que uma empresa de comunicação que tem concessão do Governo use da mesma para instigar o povo contra o Governo, este ou qualquer Governo. Este não é o papel da imprensa.

 

Grave, para a Democracia é aceitar a tentativa de destituir do Governo uma Presidenta eleita com o voto da maioria da população. Não é admissível e não é aceitável. Se permitirmos tamanho descalabro, estamos acabando a jovem democracia brasileira pela qual tantos lutaram e que tem como princípio, a população eleger seus governantes; que tem como princípio garantir a liberdade; que tem como princípio garantir o direito a maioria do povo; que tem como princípio garantir os direitos humanos; que tem como princípio a garantia de direitos básicos como saúde, educação, moradia... Se permitirmos o Impeachment é isso que vai acontecer. Tirar do Governo uma Presidenta eleita é acabar com a nossa Democracia.

 

E é com mobilização, manifestações e vigília permanentes que podemos impedir o Golpe, garantir que a Presidenta Dilma conclua seu mandato e garantir que o Governo adote as políticas que precisamos.

 

É nas ruas que podemos garantir a Democracia para garantirmos os demais direitos.

 

 

                                                                   Sueli Veiga Melo

                                                             Vice-presidenta da FETEMS

                                                       Secretaria Adjunta de Formação da CUT

 

VEJA TAMBÉM

ESTADUAL

SIPREMS é apresentado of...

Durante o Conselho de presidentes desta quinta-feira(20), a presidenta do SIPREM...

NACIONAL

Nota do DIEESE desta...

A iniciativa pretende alterar, de maneira profunda, as regras para o acesso a ap...

NACIONAL

Política educaciona...

Os participantes analisaram a conjuntura histórica guatemalteca e abordaram as...