"Ninguém educa ninguém. ninguem educa
a si mesmo, os homens se educam entre si,
mediatizadas pelo mundo."
Paulo Freire

08/08/2018 11:57 - Presidenta da FETEMS, Sueli Veiga recebe Presidente da CUT-MS

A Presidenta em exercício da FETEMS (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), Sueli Veiga esteve em reunião com o Presidente da CUT-MS (Central Única dos Trabalhadores de Mato Grosso do Sul), Genilson Duarte na manhã desta quarta-feira (30), na sede da Federação.

A reunião foi para discutir estratégias de ação para o Dia Nacional do Basta, que ocorrerá na próxima sexta-feira, 10 de agosto em todo o país. A organização do Ato é da CUT, CTB, Conlutas, Força Sindical, Nova Central, UGT, Intersindical e CSB. 
Neste dia, os(as) trabalhadores(as) de todo estado vão estar mobilizados numa grande passeata em Campo Grande. A concentração será na Praça do Rádio Clube, às 08h00.

“Vamos gritar bem alto de Basta de desmonte nas Políticas Educacionais, Recursos do petróleo para educação, Contra a BNCC e a reforma do Ensino Médio, Contra a lei da mordaça e a Militarização da escola, Pelo cumprimento do Plano Nacional de Educação, Pela revogação da EC95/2016, Basta de Desemprego, Aumento do preço do gás de cozinha e dos combustíveis, Retirada de Direitos da Classe Trabalhadora e Privatizações”, pontou a Presidenta em exercício da FETEMS, Sueli Veiga.

A Presidenta em exercício da FETEMS, Sueli Veiga acrescentou"Estamos realizando uma grande mobilização no interior do estado através dos nossos SIMTED’s (Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul).  A ideia é reunirmos um número maior possível dos profissionais em educação na passeata do dia 10 de agosto. 

O Presidente da CUT-MS, Genilson Duarte disse que “No Dia Nacional do Basta, vamos paralisar os locais de trabalho e mobilizar as bases sindicais e os movimentos sociais em manifestações de PROTESTO contra o desemprego crescente, contra a retirada de direitos da classe trabalhadora. Esses problemas foram provocados pelas medidas adotadas pelo governo golpista, como as privatizações, o engessamento do orçamento (EC95/2016), a reforma trabalhista, terceirização irrestrita, finalizou Genilson Duarte, Presidente da CUT-MS.

Assessoria