"Ninguém educa ninguém. ninguem educa
a si mesmo, os homens se educam entre si,
mediatizadas pelo mundo."
Paulo Freire

14/07/2020 09:40 - PRESSÃO: Participe do tuitaço #VotaFundeb nesta terça (14)

A campanha da CNTE em defesa da renovação do Fundeb, permanente e com mais recursos da União, continua: o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, prometeu colocar a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 15/2015 em votação nesta terça (14). Para pressionar o parlamentar a cumprir este compromisso, a CNTE vai promover mais um tuitaço #VotaFundeb nesta data, a partir das 10h, pedindo para que deputados/as aprovem este Fundo, que é um dos principais mecanismos de financiamento da educação básica pública do país.
 
Para participar dessa mobilização na rede social Twitter, acesse os materiais de divulgação:
 
- Cards:
https://bit.ly/cards_vota_fundeb_julho
 
- Planilha de tuites:
https://bit.ly/vota_fundeb_julho
 
- Vídeos de apoiadores:
https://bit.ly/videos_apoiadores_vota_fundeb
 
Recomendações:
 
- Publique diferentes frases com a hashtag #VotaFundeb a partir das 10h
 
- Compartilhe (retuite) e curta posts da campanha que mencionem a hashtag
 
- Use o Tweetdeck (https://tweetdeck.twitter.com/) para agendar tuites - é só acessar com o mesmo login e senha da sua conta do twitter. Sugestão: agende uma frase a cada cinco minutos, das 10h às 11h. Se você tiver mais tempo pode agendar um número maior de frases num intervalo menor, sempre começando às 10h.
 
- Peça para amigos e seguidores participarem do tuitaço - quanto mais contas abordarem o tema e usarem a hahstag, mais chances do termo #VotaFundeb chegar aos assuntos mais comentados do momento (trending topics)
 
- Marque deputados e deputadas que têm perfil ativo no Twitter
 
Sobre o Fundeb
 
O Fundeb atual vence no dia 31 de dezembro de 2020 e se não for renovado colocará em risco 94,2% das matrículas da educação básica, de acordo com nota técnica do Dieese. A PEC 15/2015, de relatoria da deputada Dorinha Seabra (DEM-TO), sugere maior participação do governo federal no financiamento da educação básica e torna o Fundeb permanente. Entre as alterações, está o aumento da participação da União no aporte de recursos para o Fundo dos atuais 10% para 20% em 2026, começando em 2021 em 15 % e a partir daí o aumento é de um ponto percentual a cada ano até chegar em 20% em cinco anos. E continua garantindo um Piso Salarial Nacional para o magistério.
 
Criado em 2007, no governo do ex-presidente Lula, para financiar todas as etapas da educação básica, fortalecer a igualdade de condições no financiamento da educação brasileira e garantir a valorização dos trabalhadores e trabalhadoras, o fundo garante o subsídio para mais de 40 milhões de matrículas de redes estaduais e municipais de ensino e um piso salarial para os trabalhadores e trabalhadoras da educação.

CNTE