"Ninguém educa ninguém. ninguem educa
a si mesmo, os homens se educam entre si,
mediatizadas pelo mundo."
Paulo Freire

17/04/2021 08:58 - Vacina Covid-19: cobrança da ACP, prefeitura abre cadastro prévio para profissionais da educação

A Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) abriu, na quinta-feira (15), o cadastro prévio de trabalhadores da educação para futura vacinação contra Covid-19. A prioridade na imunização de todos os profissionais da educação pública é cobrança da ACP, desde novembro de 2020, quando as vacinas que protegem contra o novo coronavírus começaram a ser distribuídas no mundo.

O sindicato orienta para que todos os trabalhadores e trabalhadoras da educação, professores e funcionários administrativos, façam sua identificação no site da Sesau (http://vacina.campogrande.ms.gov.br/Cadastro/Validacao/), pois essas informações ajudam muito na organização do processo de vacinação, quando chegar a vez dos educadores e educadoras serem imunizados.

“Essa notícia é mais uma vitória para nós da ACP, Fetems, CNTE, que defendemos a vida, a ciência e a educação. A vacinação dos trabalhadores e trabalhadoras da educação tem sido nosso grande pleito, em defesa da vida e que, verdadeiramente, nos possibilitará retomar nossas atividades das escolas públicas de Campo Grande com segurança. Estamos todos muito ansiosos por esse momento, e ver a abertura do cadastramento dos profissionais nos enche de entusiasmo. É um excelente sinal de que a nossa hora está chegando. Essa é uma vitória da categoria, e a ACP se coloca a disposição para coloca à disposição para contribuir na celeridade do processo e seguimos a cobrança para a efetiva vacinação dos educadores e de toda a população”, comemora o presidente da ACP, professor Lucílio Nobre.

A vice-presidente da ACP, professora Zélia Aguiar, reforça que a imunização dos trabalhadores da educação é a principal ferramenta para garantir o retorno às aulas presenciais com segurança.

“Esse tem sido o desejo de todos nós, desde o início dessa pandemia, quando a Covid-19 nos retirou das nossas salas de aula, nossas escolas, e nos colocou em uma situação de extrema dificuldade. Mas, como sempre, os educadores e educadoras das escolas públicas brasileiras seguiram cumprindo a docência, nas aulas remotas, com sobrecarga de trabalho, gastos excessivos, desgaste físico e emocional. Mas sempre defendendo a vida e a ciência. Seguimos firmes e esperançosos na luta!”, reforça Zélia.

A ACP seguirá cobrando que os profissionais da educação sejam vacinados o mais breve possível e que a vacina chegue para toda a população.

Assessoria ACP